Dia da Imprensa

São João del-Rei, a Cidade da Imprensa

No Dia Nacional da Imprensa, o Museu Regional relembra a importância dos meios de comunicação e a história do jornalismo local.

publicado: 01/06/2020 15h40, última modificação: 16/06/2020 10h36

A história da imprensa em São João del-Rei começa em 1827, com o lançamento do jornal O Astro de Minas. De lá pra cá, já foram publicados mais de 200 diferentes periódicos no município. A Cidade dos Sinos, que ainda hoje transmite notícias pelas badaladas dos campanários, também merece ser lembrada pelo seu jornalismo pioneiro, constante e longevo.

A importância da imprensa e das publicações em larga escala não é novidade. A prensa de tipos móveis, criada na Alemanha em meados do século 15, tirou a Europa das trevas da Idade Média, abriu caminho para o período do Renascimento e deu início à Reforma Protestante – que iria pôr fim à hegemonia da Igreja Católica.

A influência da literatura e dos jornais se tornou tão reconhecida, que logo a censura passou a vigorar entre os governos daquela época. Durante mais de 300 anos, a coroa portuguesa proibiu a criação de tipografias em território brasileiro, e os que violaram essa regra foram duramente perseguidos. Oficialmente, somente em 1808, com a chegada da Família Real, foi inaugurada a primeira tipografia do Brasil.

Menos de 20 anos depois, São João del-Rei já tinha o seu primeiro jornal, impresso em gráfica própria, fundada por Batista Caetano de Almeida – que pouco antes também havia dado início à primeira biblioteca pública da cidade, que ainda hoje se encontra em funcionamento. O Astro de Minas foi o segundo jornal mineiro, fundado em 1827, apenas dois anos depois do primeiro periódico da Província, produzido em Ouro Preto.

O Astro tinha tendências levemente liberais e progressistas, com alusões ao iluminismo até mesmo em seu nome. Para se opor a ele, em 1829 surge o segundo periódico são-joanense, O Amigo da Verdade, com linha editorial bem mais conservadora. No ano seguinte, o terceiro: o Constitucional em Triumpho.

Ao longo de quase 200 anos, São João del-Rei colecionou títulos. A imprensa local produziu diversos jornais que se antagonizavam entre si, registravam a história da cidade, os fatos políticos, as fofocas, a poesia e as opiniões, além de notícias de fora, vindas das capitais ou do estrangeiro.

Segundo um levantamento feito pelo professor do curso de jornalismo da Universidade Federal de São João del-Rei, Jairo Faria, até 1897 já haviam sido publicados 41 jornais na cidade. Até 1938, o pesquisador Augusto Viegas já enumerava mais de cem.

Durante a primeira metade do século 20, o jornalismo local teve grande influência na cidade. É possível destacar títulos importantes como A Opinião, A Verdade, O Repórter, A Tribuna, Ponte da Cadeia, entre outros. Um destaque interessante vai para O Diário do Comércio, que circulou entre as décadas de 1930 e 1950. Para uma cidade pequena e interiorana, possuir um jornal diário era algo raro – não apenas pelos custos envolvidos, mas principalmente pelo trabalho em se produzir notícias diariamente.

Ainda hoje, o município mantém um grande número de jornais com periodicidades variadas – a maioria em formato apenas digital. A Gazeta de São João del-Rei surgiu em 1998 e se tornou o periódico de maior circulação durante duas décadas, concorrendo com a Folha das Vertentes e a Tribuna Sanjoanense.

Com a migração do impresso para os meios virtuais, outros veículos de comunicação passaram também a manter páginas online, como as rádios São João del-Rei e Emboabas – que publicam notícias diariamente em seus websites e redes sociais.

Se no início os artigos de opinião imperavam, trazendo em suas páginas um jornalismo mais literário, subjetivo e ideológico, agora os veículos de imprensa locais prezam pela objetividade. Em 2009, a UFSJ deu continuidade à tradição local ao inaugurar o primeiro curso de Comunicação Social: Jornalismo da região – o que colaborou para aumentar ainda mais a qualidade dos produtos de imprensa de São João del-Rei.

Com o curso acadêmico vieram ainda o jornal laboratório Ora-Pro-Nobis e a Vertentes Agência de Notícias (VAN), coordenados por professores e mantidos pelos alunos.

Há 193 anos, a imprensa de São João del-Rei mantém-se ativa, se reinventando a cada dia. A terra dos sinos, dos queijos, das igrejas barrocas e berço de inconfidentes também deveria ser reconhecida como a Cidade da Imprensa.

Por João Victor Vilas Boas Militani

Fontes:

Base de dados mostra a história da imprensa de São João del-Rei (artigo de Guilherme Jorge de Rezende)

Jornalismo UFSJ

Jornal Ora-Pro-Nobis: a prática de fazer história em São João del-Rei (artigo de Marcelo do Santos e Juliana Millen)

O silêncio das Gerais – o nascimento tardio e a lenta consolidação dos jornais mineiros (artigo do Dr. Jairo Faria Mendes, no livro “Impasses e perspectivas da imprensa em Minas Gerais”, organizado por Guilher Jorge de Rezende.