Gente das Vertentes

  • Alexina de Magalhães Pinto – Especial Dia da Mulher

    Professora, escritora, pioneira nos estudos do folclore nacional e regional, além de revolucionária em seus métodos de ensino, Alexina de Magalhães Pinto foi uma personagem controversa e incompreendida da História de São João del-Rei. Nascida em 1869, a são-joanense era descendente de uma das mais tradicionais famílias daquele período, representantes da elite mineira: os Almeida

    por Ascom última modificação em 25/09/2019 10 h39
  • Sebastião de Oliveira Cintra

    Sebastião de Oliveira Cintra nasceu em São João del-Rei no dia 15 de outubro de 1918. Ele foi um dos intelectuais mais influentes da cidade, contribuindo para vários campos sociais como saúde, educação e imprensa. Dentre as inúmeras ocupações, Sebastião foi fiscal de contribuições previdenciárias, professor e jornalista. Além disso, bacharelou-se em Letras pelo Colégio

    por Ascom última modificação em 25/09/2019 10 h37
  • Miguel Gastão da Cunha

    Miguel Gastão da Cunha ficou conhecido ao se tornar diplomata do Brasil, atendendo a compromissos ao redor do Mundo inteiro. Ele nasceu em São João del-Rei em 29 de julho de 1863, cursou humanidades na cidade e optou por seguir a carreira de Direito. Mais tarde, em 1884, diplomou-se na Faculdade de Direito do Largo

    por Ascom última modificação em 25/09/2019 10 h44
  • Doutor Paulo de Almeida Lustosa

    Nascido em 12 de outubro de 1887, o ortodontista são-joanense Paulo de Almeida Lustosa, mais conhecido como Doutor Lustosa, é a mente por trás da icônica cera analgésica que leva seu sobrenome. Sendo o caçula de doze filhos do advogado João Batista Pimentel Lustosa e Delfina Eugênia de Almeida Lustosa, Paulo se tornou nacionalmente conhecido

    por Ascom última modificação em 25/09/2019 10 h49
  • Antonino de la Pedraja Resende

    Sabemos que, para um professor, o trabalho nunca se reduz a apenas lecionar, estar dentro de uma sala de aula diante de seus alunos. O ofício transcende as fronteiras da educação e se torna uma missão de vida. É fato que, para esse profissional, a responsabilidade é extrema, pois torna-se contribuinte para a formação intelectual,

    por Ascom última modificação em 27/09/2019 10 h05
  • José das Chagas Viegas

    Antes do surgimento das canetas esferográficas, as canetas eram simples hastes de madeira com bicos de metal, sem compartimento de tinta no interior. Para escrever, era necessário molhar o bico de pena em um pote de tinta. Nas escolas, estes tinteiros ficavam sobre as carteiras e, mesmo sendo usado com cuidado, era comum derrubá-los. Não

    por Ascom última modificação em 27/09/2019 09 h40